6 de dez de 2012

Presidente do Cruzeiro descarta nova oferta do Santos por Montillo: "Não passou nem perto"


O presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, disse que a nova proposta feita pela diretoria do Santos pelo meia Montillo, realizada no começo da noite dessa terça-feira, não chegou “nem perto” dos valores pretendidos pelo clube mineiro.

“Não agradou de forma alguma. Não passou nem perto daquilo que o Cruzeiro pretende para negociar o Montillo que, novamente digo, não está à venda”, afirmou o dirigente do clube mineiro, em entrevista ao UOL Esporte, nesta quarta-feira.
UOL Esporte revelou que a diretoria santista não desistiu do jogador. Pelo contrário, o Santos aumentou a oferta, oferecendo 5 milhões de euros (cerca de R$ 13,8 milhões) e prometeu incluir o volante Henrique na transação, que entra no negócio pelo valor de 1 milhão de euros (R$ 2,7 milhões).  
Desta forma, o valor pagaria exatamente a parte que pertence ao Cruzeiro, que detém 60% dos direitos econômicos do argentino. Outros 20% são do Banco BMG e 20% pertencem a empresários mineiros. Porém, o clube celeste, que já havia negado uma proposta inicial que continha a negociação de Henrique e mais um valor em dinheiro, descartou a nova oferta santista.
“Na verdade, não foi nem uma proposta. Eles chegam com a conversa que querem o Montillo, falam que vão dar isso e aquilo, mas não concretizam”, salientou Gilvan de Pinho, quem mantém o valor de 15 milhões de euros para negociar Montillo.
Nessa terça-feira, o clube ficou irritado com a forma que o Santos conduz a negociação. Isso porque o clube da Baixada teria procurado diretamente Montillo e seu empresário e já acertado um contrato de três anos.
Porém, o mal-entendido foi resolvido após a conversa de Odílio Rodrigues com o presidente Gilvan de Pinho Tavares, e o diretor de futebol celeste, Alexandre Mattos. A diretoria celeste ficou nervosa com o fato, já que Montillo tem contrato com o Cruzeiro até 2015 e o clube deveria ser procurado primeiro.
Além do Santos, o Cruzeiro também recebeu propostas de São Paulo e Fluminense pelo argentino. O primeiro ofereceu 4 milhões de euros (cerca de R$ 11 milhões), mais o volante Casemiro e o zagueiro João Felipe. O clube carioca propôs uma troca por dois jogadores – o meia Wagner e o meia-atacante Rafael Sóbis. Porém, não houve acordo.