14 de dez de 2012

Marcelo Oliveira pede à diretoria celeste a contratação de zagueiros altos

Preocupado com os problemas na defesa do Cruzeiro, o técnico Marcelo Oliveira requisitou à diretoria a contratação de zagueiros de boa estatura. O pedido sinaliza que atletas da posição estão em baixa e podem até deixar a Toca. O presidente do clube, Gilvan de Pinho Tavares, garante que está à procura e promete um jogador de impacto.



“Estamos examinando os nomes e as posições indicadas pelo técnico Marcelo Oliveira, estamos trabalhando de mangas arregaçadas. Ele pediu para reforçar a defesa e meio-campo. Ele sabe que contamos com bons jogadores, mas precisa de mais alguns atletas, porque são setores nos quais o atleta toma muito cartão, sofre muitas lesões”, observou o dirigente.
A diretoria celeste procura jogadores para o setor, principalmente no mercado internacional, de preferência brasileiro. Isso porque o clube deve manter três estrangeiros para o próximo ano.
A defesa foi o maior problema para o Cruzeiro. E estatura não representou segurança. O mais alto do setor, Rafael Donato (1,93), falhou em algumas partidas e ficou fora até do banco de reservas nos últimos jogos do Campeonato Brasileiro. Mateus, com dois centímetros a menos que o companheiro, também perdeu espaço com Celso Roth.
Um deles pode até ser emprestado ou rescindir contrato, mas o futuro ainda não foi definido por Marcelo Oliveira. O treinador celeste está analisando os nomes que vão permanecer em 2013, mas já apresentou uma lista de quais jogadores poderiam chegar à Toca da Raposa.
“Altura no futebol se tornou importante. Tem que ter time equilibrado, de bom cabeceio, que possa sustentar o adversário. O Cruzeiro teve alguns problemas com a bola aérea. Mas estamos atentos a contratações. Já passei nomes e o Cruzeiro tem nomes também”, disse o treinador.
Nessa quarta-feira, em evento no Mineirão, o presidente do Cruzeiro afirmou que as rendas obtidas com a exploração do estádio viabilizariam a contratação de um jogador de “impacto” para a defesa. Porém, evitou falar de nomes.