29 de nov de 2012

Em despedida, Roth faz balanço, aponta erros e diz que sentirá falta do convívio


Apenas a disputa do Campeonato Brasileiro e nada mais. Assim foi a passagem do técnico Celso Roth pela Toca da Raposa. O treinador assumiu a equipe na semana do início do Brasileirão e deixará o clube ao término do mesmo, com a sensação de dever cumprido.

Divergências com a diretoria fizeram com que o treinador não quisesse continuar no Cruzeiro e com que o clube, reciprocamente, não quisesse sua permanência. A quatro dias da despedida, o clássico contra o Atlético, Celso Roth fez uma avaliação sobre sua passagem pelo clube.

“Não tem alívio pelo término, mas poderíamos ter feito tecnicamente uma competição melhor do que estamos fazendo. Poderia ter sido melhor, se tivéssemos interagido mais, todos nós, a direção com a comissão e os jogadores, faltou um pouco disso, uns detalhes que poderiam ter tido um efeito melhor ainda. Tenho que deixar isso claro ao torcedor do Cruzeiro”, disse Roth, que revelou que sentirá falta da Toca da Raposa.

“Vou sentir falta do convívio. Foi bom ter vindo para cá, conhecer o Cruzeiro, mostrar meu trabalho aqui. Conheci, seja assim ou assado, eu conheci as pessoas que fazem o Cruzeiro. É a terceira vez que volto a BH e o convívio com as pessoas tem sido dentro de uma franqueza e normalidade e simplicidade muito boa, eu gosto de estar aqui, minha família gosta, quando vem, então sentirei falta disso”.

Porém, questionado sobre uma possível vitória expressiva no clássico e um convite da diretoria para a permanência em 2013, Roth foi enfático. “Eu direi ‘bom 2013’. Que o Cruzeiro seja feliz, que encontre o equilíbrio e faça o melhor, que vá ao encontro dos desejos do torcedor. Mais do que isso não posso dizer”.


Fonte