30 de nov de 2012

Cruzeiro comemora, nesta sexta-feira, aniversário da conquista da Tríplice Coroa



Uma temporada cheia de títulos e recordes. O torcedor cruzeirense jamais se esquecerá da temporada 2003, quando o clube ganhou todos os títulos oficiais possíveis em âmbito nacional – Estadual, Copa do Brasil e Brasileiro – com campanhas impressionantes.


No título invicto do Campeonato Mineiro, foram 12 jogos, com 10 vitórias e dois empates. A partida mais importante, contra o Atlético, foi vencida por 4 a 2, com dois gols de Alex, um de Deivid e um de Marcelo Ramos.

O tetracampeonato da Copa do Brasil também foi conquistado de forma invicta. Das 11 partidas, o clube celeste venceu oito e empatou três. Marcou 29 gols e sofreu 12. Na decisão, bateu o Flamengo por 3 a 1 no Mineirão. 

No Brasileirão, o clube celeste conquistou a expressiva marca de 100 pontos. Foram 72,5% de aproveitamento, nos 46 jogos disputados, marca até hoje não alcançada por nenhum outro clube. A Raposa marcou 102 gols e sofreu 47.

Para se ter ideia do poderio cruzeirense no Brasileirão 2003, o segundo colocado, Santos, terminou a competição 13 pontos abaixo do clube celeste, enquanto o terceiro, São Paulo, ficou com 22 pontos a menos. 

Naquele ano, o Cruzeiro conseguiu vencer todos os seus adversários pelo menos uma vez, à exceção do São Caetano. Contra o Azulão, houve empate em 2 a 2 no Mineirão e vitória paulista por 2 a 0 no Anacleto Campanella.

Ao todo, o Cruzeiro disputou 73 jogos na temporada 2003, com 52 vitórias, 13 empates e oito derrotas, com 179 gols marcados e 70 sofridos, cravando a impressionante marca de 77,17% de aproveitamento no ano.

Coincidência de 1966

Coincidentemente, 30 de novembro também é o aniversário da goleada histórica sobre o Santos de Pelé, por 6 a 2, no primeiro jogo da final da Taça Brasil de 1966. Na semana seguinte, o clube celeste se sagraria campeão brasileiro pela primeira vez, com novo triunfo sobre o Peixe, desta vez por 3 a 2, no Pacaembu. 

Os nove gols do Cruzeiro nas partidas decisivas foram marcados por Dirceu Lopes (4), Tostão (2), Natal (2) e Zé Carlos, contra. Já os tentos santistas foram anotados por Toninho Guerreiro (3) e Pelé.

Fonte