29 de nov de 2012

Gilberto anuncia aposentadoria para se dedicar ao marketing esportivo

Aos 36 anos, Gilberto  decidiu pendurar as chuteiras. Revelado pelo América-RJ em 1994 e conhecido inicialmente mais como irmão de Nélio, campeão carioca e brasileiro no Flamengo no início da década de 90, jogou pelo clube rubro-negro, VascoCruzeiro, Internazionale (ITA), GrêmioSão Caetano, Herta Berlin (ALE),Tottenham (ING), Vitória e América-MG, seu último clube. Em entrevista à Rádio Globo, disse que não é o fim da carreira no futebol, mas a continuidade dela.

- Está decidido. Particularmente, já estava com vontade de fazer isso por causa da empresa. Se Deus quiser, vai dar certo. É a continuidade de minha carreira. Não dentro de campo, mas junto ao futebol, tentando melhorar ainda mais essa questão de marketing dentro do esporte- disse.

O auge da trajetória de Gilberto pelo futebol, sem dúvidas, foi em 2006, quando serviu à Seleção na Copa do Mundo na Alemanha. Com a amarelinha, o jogador foi campeão da Copa das Confederações de 2005 e da Copa América de 2007.

Títulos nos clubes

Ainda no time de juniores do América-RJ, onde foi revelado, Gilberto da Silva Melo acabou se transferindo para o Flamengo, em 1995, quando tinha 19 anos. Atuou ainda pela equipe rubro-negra de juniores, mas não demorou a ser aproveitado no time profissional. Treinado por Joel Santana, ocupou logo a lateral esquerda. Ao lado do irmão, Nélio, meia-atacante criado nas divisões de base da Gávea, campeão carioca em 1991 e brasileiro em 1992, além de Romário, Sávio, Mancuso e outros, participou da campanha do título carioca.

Pouco depois, no entanto, Gilberto perdeu a posição para Athirson, recuperando-a em 1998, quando o jogador foi transferido para o Santos. Mas acabou indo para o Cruzeiro, onde foi campeão mineiro e ficou até 1999, quando se transferiu para o Internazionale de Milão.

A temporada na Itália não foi longa. Não demorou muito para o lateral retornar ao Brasil e ao Rio de Janeiro. Só que, dessa vez, Gilberto vestiu a camisa do Vasco para fazer parte do elenco campeão brasileiro e da Copa Mercosul que tinha Romário, Juninho Pernambucano. Mas uma contusão o deixou de fora das duas conquistas. Em São Januário, o lateral faturou a Taça Guanabara, em 2000, e a Taça Rio, em 2001.

Em 2002, Gilberto foi para o Grêmio. Atuou no clube gaúcho por dois anos e se transferiu para o São Caetano. Lá sagrou-se campeão paulista. Daí em diante, a estrela brilhou mais para o lateral-esquerdo, bom na marcação e no apoio. Contratado pelo Hertha Berlin em 2004, passou a atuar no meio-campo e ganhou mais visibilidade. Convocado para a Seleção, integrou o elenco campeão da Copa das Confederações (2005) e da Copa América (2007). Além disso, foi um dos 23 convocados para a Copa do Mundo na Alemanha.

A passagem pelo Tottenham, da Inglaterra, em 2008, não foi boa para Gilberto, que retornou para o Cruzeiro em 2009. No ano seguinte, foi convocado por Dunga para a Copa do Mundo na África do Sul.
Antes de parar, ainda teve passagens pelo Vitória e o América Mineiro, onde disputou a Série B de 2012.

Com a inquestionável experiência adquirida durante os anos de jogador, Gilberto não descarta seguir o caminho de grande parte dos ex-jogadores: tornar-se técnico.

- A princípio, não. Vai ser mais um tempo de aprendizado. Mas, se vier alguma proposta interessante... Talvez com um estudo melhor, curso melhor e estágio com algum treinador. Mas, a princípio, não serei treinador- afirmou.