4 de jul de 2012

Cruzeiro 'estranha' repetição de árbitro em dois jogos seguidos e protesta na CBF


A diretoria do Cruzeiro “estranhou” a escalação do árbitro carioca Marcelo de Lima Henrique para o jogo contra o Internacional, sábado, às 18h30, em Porto Alegre. Isso porque ele havia apitado a partida anterior da equipe mineira no Campeonato Brasileiro, na derrota por 3 a 2 para o São Paulo, no sábado passado.

Apesar de oficializar um protesto junto à Comissão Nacional de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), contra a arbitragem de Marcelo de Lima Henrique, o Cruzeiro não conseguiu mudar a arbitragem para o jogo no Beira-Rio, válido pela oitava rodada do Brasileirão.
“O Cruzeiro foi pego de surpresa com a escalação dele para apitar o jogo de sábado, numa sequência que não acontece na arbitragem. Ele apitou Cruzeiro e São Paulo e cometeu erros que não deveriam ter acontecido. O Cruzeiro mandou teipes, não evitando a escalação dele, mas falando dos seus erros”, disse o gerente de futebol, Valdir Barbosa.
O presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, ligou para o presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Sérgio Corrêa, reclamando da atuação do árbitro na partida diante do São Paulo. Porém, não foi possível haver a mudança, uma vez que o sorteio já havia ocorrido.
“Não existe veto ao Marcelo, o que existe é estranheza na escalação em sequência. Ele não foi bem, no modo de ver do Cruzeiro. Apenas reclamamos da sua arbitragem, porque colocou sequencialmente, um fato anormal. Isso aí não é normal, é ruim, deixa a comissão complicada. Se ele comete erros outra vez contra o Cruzeiro, fica uma coisa estranha”, observou o dirigente celeste.
Segundo Valdir Barbosa, a equipe mineira mandou vídeos da partida contra o time paulista para a Comissão de Arbitragem, apontando alguns erros do árbitro carioca. Para o Cruzeiro, o maior problema da arbitragem foi não ter marcado pênaltis no zagueiro Rafael Donato, durante a segunda etapa, em que o jogador teria sido puxado pelo adversário.
O Cruzeiro foi derrotado pelo São Paulo, no Independência, e perdeu a invencibilidade e a liderança do Campeonato Brasileiro. Além dos lances envolvendo o zagueiro Rafael Donato,  o técnico Celso Roth também reclamou do pênalti a favor do time paulista, em que Fábio defendeu a cobrança de Luís Fabiano.
UOL