20 de nov de 2012

Torcida do Cruzeiro relata problemas para assistir à partida contra o Flu


A festa e o palco estavam montados para a torcida do Fluminense, que foi ao Engenhão, domingo, comemorar com o time o título de Campeão Brasileiro. À torcida do Cruzeiro, desafiante do Tricolor, um jogo que não poderia valer tanta coisa. Mas os comandados de Celso Roth atrapalharam, mesmo que minimamente, a comemoração do Flu ao vencer a partida por 2 a 0. Vários torcedores do Cruzeiro, no entanto, não conseguiram presenciar a boa atuação do time no estádio por falta de ingressos.

Como time visitante, o Cruzeiro poderia solicitar uma carga de até 10% dos ingressos 35.770 que seriam colocados à venda. Ao fazer essa reserva, a diretoria do time mineiro teria que, automaticamente, fazer o pagamento das entradas. O que não aconteceu, explica o gerente de futebol do Cruzeiro, Valdir Barbosa.
- Não é só pedir (esse limite de) 10%. Tem que pedir e pagar. Não houve solicitação do Cruzeiro por parte de ingressos. Você tem que solicitar com antecedência e pagar. O Cruzeiro fez uma permuta de 200 ingressos que foram distribuídos à torcida, que havia pedido.
Por conta disso, cruzeirenses como João Henrique Castro, que mora no Rio de Janeiro, relataram ter tido dificuldades para acesso ao estádio. Até porque a prerrogativa de quantos ingressos seriam vendidos à torcida mineira ficou com o Fluminense, mandante da partida.
- Às 15h, as bilheterias da área onde fica a torcida do Cruzeiro foram abertas. Mas a venda durou apenas 15 minutos. Teve um princípio de confusão, tinha torcedores do Fluminense também comprando ingressos. Depois disso, vários (cruzeirenses) ficaram sem ingressos. - relata João Henrique
Segundo o torcedor, após essa situação, os únicos ingressos disponíveis estavam na mão de cambistas.
- O preço normal era de R$ 30, mas tinha cambista vendendo por R$ 200. Alguns torcedores do Fluminense, desesperados para acompanharem a partida, até compraram.
O Fluminense informa, por meio de nota enviada pela assessoria de imprensa do clube, que foram disponibilizadas as cortesias solicitadas pelo Cruzeiro, bem como os ingressos pedidos para vendas corporativas. Em relação à venda de ingressos no Engenhão, teria sido feita normalmente no dia da partida, na bilheteria norte do Engenhão, com o acompanhamento do Grupamento Especial de Policiamento em Estádio (GEPE), da Polícia Militar do Rio de Janeiro.
"Este é o procedimento padrão adotado em todas as partidas com times de fora do Rio, por determinação do próprio GEPE, para garantir a segurança dos torcedores dos times visitantes", finaliza a nota.
Problemas
Antes de a bola rolar, foram relatados outros incidentes no entorno do Engenhão, envolvendo, principalmente, membros de uma torcida organizada do Cruzeiro. 
Globo.com